Os cuidados com bebês e crianças na folia de Carnaval

Hospital Materno-Infantil de Barcarena orienta sobre as principais dicas de saúde para aproveitar o Carnaval com as crianças em segurança

Muitas famílias comemoram juntas o Carnaval e até crianças e bebês acabam participando da folia. No entanto, é importante tomar alguns cuidados com os pequenos e não deixar a segurança de lado. O Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), unidade do Governo do Pará, gerenciado pela Pró-Saúde desde a sua inauguração, em 2018, traz algumas dicas de saúde para celebrar o Carnaval com as crianças.

 

Para a pediatra do hospital, Giselle Filo-Creão, o primeiro cuidado dos pais e responsáveis é na escolha do local dos festejos. “Por conta do clima da nossa região quente e úmido é muito fácil a proliferação de fungos e bactérias. O ideal é sempre evitar aglomerado de pessoas e preferir lugares abertos que tenha circulação de ar, já que eles ainda estão em período de amadurecimento do sistema imune”, ressalta a profissional.

 

Manter o esquema vacinal em dia é fundamental para a folia ser completa, principalmente em épocas de surto de doenças como o sarampo. A pediatra explica que, a partir dos 6 meses de idade bebês já podem usar protetor solar, mas alguns cuidados específicos são necessários, como evitar o sol de 10h às 16h, por exemplo. “Artigos que protejam os pequenos da exposição solar, como protetores solar, bonés e blusas específicas podem ser utilizados, mas é sempre bom não levar diretamente para a exposição ao sol”, reitera Giselle Filo-Creão.

 

Outro fator importante sobre os cuidados com os bebês é a exposição a ruídos sonoros em volume alto, porque a audição, principalmente dos bebês, ainda é muito sensível e podem sofrer algum dano.

 

Dicas durante a viagem

 

As famílias que irão viajar para lugares em que há grande quantidade de mosquitos devem levar um item essencial na mala. “O repelente é muito importante para todos. Atualmente no mercado há repelentes específicos para bebês, já para as crianças maiores há uma linha de produtos chamada kids. “O mais importante nesse período de folia é sair para se divertir e não adoecer, ter cuidado para diversão não virar doença ou aborrecimento. Vale destacar o cuidado envolvendo piscinas e praias, quando ocorrem casos recorrentes de afogamento”, destaca Giselle.

 

Sobre a alimentação

 

Manter a hidratação é muito importante, principalmente nos dias quentes em que as crianças gastam mais energia. Como explica a nutricionista do HMIB, Danielly Souza, a água de coco é uma boa opção, pois é rica em vitaminas e minerais que ajudam na regulação corporal. “Sobre os lanches, os alimentos saudáveis devem ser os primeiros a serem servidos, principalmente nos lanches intermediários, como da manhã e tarde. Se a criança for apenas amamentada, tiver até os 6 meses de vida, deve-se continuar a amamentação em livre demanda”, explica.

 

Entre as opções de lanches, a nutricionista recomenda: tomate cereja, palitos de cenoura, biscoito de arroz, torta de legumes, pipoca, milho cozido, pão de queijo, biscoito de polvilho e bolo caseiro, além das frutas, como uva sem semente, banana, maçã, pêra e mamão.

 

Sobre a Pró-Saúde

 

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 12 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

 

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.